- Uncategorized

Faturamento do atacado distribuidor sobe 1,95% em outubro

O setor atacadista distribuidor iniciou o último trimestre do ano com desempenho positivo, acompanhando os sinais de aquecimento na economia brasileira. Em outubro, o faturamento cresceu 1,95% em termos nominais na comparação com o mesmo mês de 2018. No acumulado do ano, de janeiro a outubro, o resultado foi superior em 1,19% na comparação com o mesmo período do ano passado, mantendo a expectativa do setor de terminar 2019 com alta entre 1% e 2%. De agosto para setembro,  a alta foi de 7,95%. Os dados fazem parte da pesquisa mensal da Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores, apurada pela FIA (Fundação Instituto de Administração) com um grupo representativo de empresas.

O período de maior movimentação para o comércio de alimentos é, sem dúvida, o fim do ano. Décimo terceiro, férias e saques do FGTS liberados pelo governo vão influenciar positivamente a atividade comercial. Soma-se ao comportamento sazonal a queda na taxa de juros e uma pequena melhora no mercado de trabalho, ainda que pela informalidade. Em síntese, a confiança começa a voltar e a economia dá os primeiros sinais de retomada. “Bons sinais que nos fazem acreditar que 2020 será um ano melhor”, afirma o presidente da ABAD, Emerson Destro.

O resultado do PIB no terceiro trimestre de 2019, que subiu 0,6% ante os três meses anteriores, segundo dados do IBGE, também reforça o potencial de crescimento da economia para o próximo ano, segundo Emerson Destro. “Mas é preciso manter o ritmo e dar continuidade às reformas para que esse cenário positivo se consolide. O Executivo e o Legislativo têm de começar o ano com disposição para fazer o que precisa ser feito.”

Em termos deflacionados, o Banco de Dados ABAD/FIA apresentou melhora na comparação de outubro com o mês de setembro, quando teve alta de 7,85%. Na comparação com outubro de 2018, houve queda de -0,57%. No acumulado do ano, em relação ao mesmo período de 2018, a retração é de -2,43%.

PIB

A economia brasileira teve expansão de 0,6% entre julho e setembro de 2019, em relação aos três meses antecedentes, feitos os ajustes sazonais, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apresentados nesta terça-feira. Foi o maior crescimento nesse tipo de comparação desde o avanço de 0,7% no primeiro trimestre de 2018. Perante o terceiro trimestre de 2018, houve crescimento de 1,2%, O PIB acumulado no ano até o terceiro trimestre de 2019 avançou 1% em relação a igual período do calendário anterior, conforme o IBGE. Principal componente da demanda da economia, o consumo das famílias avançou 0,8% de julho a setembro deste ano.

Supermercados

O setor supermercadista tem mantido crescimento acima dos 3% previstos para 2019. De janeiro a outubro os supermercados brasileiros acumulam alta real – deflacionada pelo IPCA/IBGE, de 3,48%, de acordo com o Índice Nacional de Vendas ABRAS).  Em outubro, as vendas registraram crescimento de 4,30% na comparação com o mês de setembro e alta de 5,78% em relação ao mesmo mês do ano de 2018.

Inflação

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acelerou a alta para 0,51% em novembro, após ter registrado elevação de 0,10% um mês antes. Este foi o maior resultado para um penúltimo mês de ano desde 2015, quando o indicador subiu 1,01%. O avanço de preços dos alimentos, incluindo as carnes, energia elétrica e jogos de azar tiveram impacto no resultado. Vale notar que, em novembro de 2018, o IPCA tinha recuado 0,21%

Fonte: ASCOM ABAD

About Hugo Barbosa

Read All Posts By Hugo Barbosa